Filme: As Sufragistas (baseado em fatos reais)

Sinopse

Inspirada em eventos verdadeiros, o filme As Sufragistas explora emocionantemente a paixão e o desgosto daquelas que arriscaram tudo o que tinham pelo direito das mulheres de votar – seus empregos, suas casas, seus filhos e até mesmo suas vidas. Os candidatos ao Oscar, Carey Mulligan, Helena Bonham Carter e Meryl Streep, três vezes vencedora do Oscar, lideram o elenco do poderoso drama sobre a luta pela igualdade na Grã-Bretanha do início do século XX. A história emocionante centra-se em Maud, uma esposa trabalhadora e mãe que se torna um ativista para a causa sufragista ao lado de mulheres de todas as esferas da vida. 

Título Original: Suffragette
Data de Lançamento:
Gênero: Drama
Diretor: Sarah Gavron
Elenco: Meryl Streep, Carey Mulligan, Helena Bonham Carter, Anne-Marie Duff dentre outros.
Distribuidor: Universal Pictures

Temos que libertar metade da raça humana, as mulheres, para que possam ajudar a libertar a outra metade. (Emmeline Pankhurst, 1858-1928)

O que achei do filme

Se você hoje tem o direito de trabalhar, estudar, dirigir, pagar suas contas e o mais importante participar das decisões do país, saiba que nada disso foi assim, no estalar dos dedos, de uma hora para outra.

Durante muitos anos, e não vou muito longe não, nós mulheres éramos operárias, vistas como alguém que cumpre trabalhos braçais mas sem direito algum, consideradas incapazes.

E num movimento chamado sufragista, toda a revolução feminina começou. Era um movimento pelo direito das mulheres de votar. Foi a partir de 1906, que as esposas e mães da classe trabalhadora reuniram-se com a líder Emmeline Pankhurst para tomar medidas mais drásticas para garantir o direito de voto das mulheres.

O filme tem como foco a personagem Maud, que trabalha numa lavanderia desde os 7 anos de idade. Sua mãe também trabalhou lá e morreu quando uma caldeira caiu sobre ela. Aos 24 anos de idade Maud é a gerente das lavadeiras e se dedica a atividade, juntamente com o marido, que faz as entregas.

Maud tem seu primeiro contato com o movimento quando é designada a fazer um entrega no centro da cidade. Lá, mulheres apedrejam a vitrine de uma loja, gritando palavras de ordem “mulheres nas urnas“. Assustada, ela corre para casa. Num outro dia, ao levar o filho a farmácia do bairro, observa que uma mulher o atende, a farmacêutica Edith Ellyn . Além disso, vê na parede o diploma, condecorações e um uniforme que mostram o quanto aquela mulher era importante.

Depois do ocorrido, Maud reconhece que a mulher que jogou as pedras trabalha na mesma lavanderia que ela. Assim, Maud recebe o convite para participar do movimento das sufragistas, que acontecia nos fundos da farmácia, de forma clandestina. Logo depois ela percebe que muitas mulheres estão participando e isso começa a gerar uma inquietação.

Na tentativa de conseguir a revisão da lei pelo rei George V, Maud se vê obrigada a declarar em uma sessão plenária sua trajetória profissional. E a partir daí, ela se escuta e tudo começa a mudar. Se torna uma das sufragistas e por diversas vezes vai presa, faz greve de fome e teve a oportunidade de ganhar sua liberdade se aceitasse ser delatora do movimento. Claro que ela não aceitou!

Um filme baseado em fatos reais, em mulheres reais, que lutaram tanto para conseguir o que temos hoje. Assista ao trailer abaixo:

Outras informações

  • O filme é dirigido pela vencedora do prêmio BAFTA Sarah Gavron e escrito pelo vencedor do Prêmio Emmy Abi Morgan.
  • Nascida em 1858, Emmeline Goulden, foi uma das fundadoras do movimento britânico do sufragismo. O nome da “Sra. Pankhurst“, mais do que qualquer outro, está associado com a luta pelo direito de voto para mulheres de classe média alta no período imediatamente antes da Primeira Guerra Mundial.  Faleceu em Londres, em 14 de junho de 1928, aos 69 anos.
Sufferagette Emily Pankhurst addressing a meeting in London's Trafalgar Square, 1908.

Sufragista Emily Pankhurst discursando para mulheres na praça Trafalgar Square, em Londres, em 1908.

O filme está disponível no Telecine Play e Telecine Now.

Se você já viu As Sufragistas, não deixe de partilhar sua opinião aqui.

 

Beijo e até a próxima!

20 Comments

    • Silvia Gonçalves 13/12/2016 Reply
  1. STHEPHANIE MARTINS DA SILVA 12/12/2016 Reply
    • Silvia Gonçalves 13/12/2016 Reply
    • Silvia Gonçalves 13/12/2016 Reply
  2. Erica Oliveira 13/12/2016 Reply
    • Silvia Gonçalves 13/12/2016 Reply
    • Silvia Gonçalves 13/12/2016 Reply
    • Silvia Gonçalves 13/12/2016 Reply
  3. Nani Moreira 14/12/2016 Reply
    • Silvia Gonçalves 20/12/2016 Reply
  4. Murielly 14/12/2016 Reply
    • Silvia Gonçalves 20/12/2016 Reply
  5. jessica 14/12/2016 Reply
    • Silvia Gonçalves 20/12/2016 Reply
  6. Gi Pereiraa 17/12/2016 Reply
    • Silvia Gonçalves 19/12/2016 Reply

Leave a Reply