Filme: O lado bom da vida

oladobomdavida_posterB

Sinopse

Por conta de algumas atitudes erradas que deixaram as pessoas de seu trabalho assustadas, Pat Solitano Jr. (Bradley Cooper) perdeu quase tudo na vida: sua casa, o emprego e o casamento. Depois de passar um tempo internado em um sanatório, ele acaba saindo de lá para voltar a morar com os pais. Decidido a reconstruir sua vida, ele acredita ser possível passar por cima de todos os problemas do passado recente e até reconquistar a ex-esposa. Embora seu temperamento ainda inspire cuidados, um casal amigo o convida para jantar e nesta noite ele conhece Tiffany (Jennifer Lawrence), uma mulher também problemática que poderá provocar mudanças significativas em seus planos futuros.

Título Original: Silver Linings Playbook
Data de Lançamento: Fevereiro/2013
Gênero: Comédia dramática
Diretor: David O. Russell
Elenco: Bradley Cooper, Jennifer Lawrence, Robert De Niro
Distribuidor: Paris Filmes

Temos que fazer tudo que podemos. Fazendo isso e sendo positivos, podemos ver o lado bom. 

O que achei do filme

Estava com muita expectativa nesse filme pois a divulgação foi pesada além de gostar muito do elenco principal. Mesmo sendo um gênero que não é meu favorito, resolvi arriscar.

O lado bom da vida é aquele tipo de filme que começa pelo meio e vai explicando o início no decorrer dos acontecimentos. E ele começa mostrando Patrick em um sanatório. Tudo muda quando sua mãe vai buscá-lo. A possibilidade de voltar ao convívio social só tem um objetivo para ele: reconquistar sua ex-esposa Nikki.

Na busca por readaptação, encontra um velho amigo que o chama para jantar. Claro que Patrick não só está interessado em se socializar como também ficar perto de pessoas que conhecem e mantém contato com sua ex-esposa. Tudo se torna uma chance para reaproximação. Mal sabe ele que seu amigo chamou a cunhada para esse jantar. É quando ele conhece Tiffany. Antes de apresentá-la, seu amigo diz que ela é viúva. Durante o jantar, clima fica pesado entre as irmãs e Tiffany resolve ir embora, mas não sem antes pedir a Patrick que a acompanhe. Ela percebe que sua presença o atrai e se aproveita disso. Com a ideia fixa de que precisa reconquistar sua ex-mulher, Patrick não aceita as investidas de Tiffany.

Com sua saída do sanatório é prescrito que frequentasse sessões de terapia para tratar a doença diagnosticada como transtorno bipolar. Em uma das sessões Patrick conta o motivo pelo qual foi internado. Nada de contar aqui! Sem spoiler!

Após o último encontro na casa de sua irmã, Tiffany decide investir na amizade com Patrick. E sem papas na língua ambos falam o que pensam um para outro. Ele sempre lembra que seu marido morreu e ela sempre pergunta onde está sua mulher. Mas Patrick vê que poderá chegar até sua ex-esposa através de Tiffany e começa a permitir a aproximação dela.

Com a ideia fixa de se explicar para a Nikki, Patrick compartilha seu desejo com Tiffany, que decide ajudá-lo. Sendo que essa ajuda possui uma condição: que ele participe com ela de uma competição de dança. Tiffany possui um mini estúdio de dança, só para ela e é lá que os ensaios começam. É tudo que ambos precisam: uma atividade que exija disciplina e concentração.

O filme aborda o preconceito que sofrem as pessoas com algum tipo de transtorno. A sociedade não está preparada para lidar com pessoas assim. Mostra o quanto a família precisa dar e receber apoio. Patrick lutou durante toda sua vida com uma doença que não foi diagnosticada e somente após surtar foi possível compreender o que acontecia com ele e encarar um tratamento. Já Tiffany também surtou quando seu marido morreu tragicamente em um acidente. Ambos sabem o quanto é difícil superar perdas e lidar com o emocional e o racional que não possuem equilíbrio para isso.

Não me surpreendi com o filme. Tudo é bem previsível. Algumas situações ajudam a criar um clima de expectativa como, por exemplo, o motivo da internação dele, a competição de dança, a reconquista da ex-esposa. Fora isso, o filme não surpreende e o tema é bom mas não tão amplo assim. Para quem gosta de Jennifer Lawrence, completamente sagaz em Jogos Vorazes, espere um papel de uma mulher totalmente desequilibrada. Já Bradley Cooper foi ótimo em Sniper Americano.

 Agora, clique aqui e assista ao trailer para conhecer um pouco mais sobre a história.

Enfim, o Oscar! É a primeira indicação de Robert De Niro ao Oscar em 21 anos. O ator ganhou duas estatuetas douradas, por O Poderoso Chefão 2 (1974, como melhor ator coadjuvante) e Touro Indomável (1980, como melhor ator), além de ter sido indicado outras cinco vezes.

Quem curte ver o filme e ler o livro ou vice-versa, pode encontrar a versão escrita na Saraiva por R$ 20,90.

 

Se gostou da minha sugestão e gostaria de assisti-lo, o filme está disponível na Netflix e no Now da Net.

 

Beijo e até a próxima!

Leave a Reply