Filme: Um Conto Chinês

um conto chinês

Sinopse

Roberto (Ricardo Darín) é um argentino recluso e mal humorado. Ele leva a vida cuidando de uma pequena loja e tem o hobbie de colecionar notícias incomuns. A comodidade de sua vida é interrompida quando ele encontra um chinês (Ignacio Huang) que não fala uma palavra de espanhol. O imigrante acabara de ser assaltado e não tem lugar para ficar em Buenos Aires. Inicialmente relutante, Roberto acaba deixando o asiático viver com ele e aos poucos vai descobrindo fatos sobre o chinês.

Título Original: Un Cuento Chino
Data de Lançamento: Setembro/2011
Gênero: Comédia / Drama
Diretor: Sebastián Borensztein
Elenco: Ricardo Darín, Muriel Santa Ana, Ignacio Huang

O que achei do filme

Sabe quando você começa a assistir um filme e descobre que ele não tem NADA a ver com o que tinha imaginado? Pois Um Conto Chinês foi assim pra mim. Uma indicação de amigos, sabendo que o protagonista também atua no filme O Segredo de Seus Olhos (leia a resenha aqui).

O filme começa com uma cena que não dá para contar aqui, só vendo! Essa cena ficou na minha cabeça até o final do filme e enquanto assistia, tentava ligar os pontos e achar uma resposta. Adoro filmes assim!

Enquanto Roberto vive sua vida de ermitão, cheio de manias e TOCs, temos a participação de uma mulher, afinal um toque feminino deixa tudo mais harmonioso. Mari já teve uma noite de amor com Roberto mas não foi correspondida porém continua nutrindo um sentimento por ele. Vive em outra cidade e quando volta, sua primeira visita é na loja de Roberto.

Os astros estavam alinhados quando Jun (nome do chinês) conheceu Roberto. Numa situação muito comum que acontece quando um estrangeiro visita nosso país, Roberto estava na hora certa, no lugar certo, para ajudá-lo. Apesar do mal humor e da maneira rude de lidar com as pessoas, Roberto mostra que tudo é fachada. Não consegue ficar sem ajudar Jun e luta internamente quando se vê numa situação que lhe prende a um desconhecido que mal consegue se comunicar.

Roberto vive às sombras do passado. Sua mãe morreu quando ele nasceu e seu pai quando tinha 19 anos. De cada um adquiriu manias de colecionar. E uma de suas coleções vai mostrar que o impensável, o impossível realmente pode acontecer.

Falando sobre a parte de cômica do filme, Ricardo Darín nos faz rir com seu jeito carrancudo, desbocado e sincero de ser. Em alguns momentos a música nos mostra que é hora de relaxar para, logo em seguida, mostrar alguma situação mais dramática. E nessa leveza, o filme se passa, mostrando que devemos fazer o bem, sem olhar a quem. Vale à pena assistir!

Clique aqui para assistir ao trailer do filme!

A parte mais curiosa disso tudo é saber que esse filme é baseado um uma notícia real, passada num telejornal russo!

O filme ganhou o prêmio Goya de Melhor Filme Ibero-Americano em 2012.

O filme está disponível na Netflix.

Alguém já assistiu esse filme? O que achou?

Beijo e até a próxima!

Leave a Reply